top of page

BLOGda

RIZON

Fique por dentro das novidades!

Bard: conheça o novo rival do “ChatGPT” criado pelo Google

Lançado no final de 2022, o chatbot inteligente ChatGPT, desenvolvido pela OpenAI, tem dado muito o que falar. Proibido em escolas e universidades de diversos países, com uma longa fila de espera para o cadastro de novos usuários, esse famoso chatbot conta com Inteligência Artificial e chegou para revolucionar a vida de estudantes e profissionais que atuam com a escrita.


Entretanto, apesar de ter vários concorrentes com plataformas bastante semelhantes a do ChatGPT, agora a OpenAI se vê cara a cara com um concorrente a altura: nada mais nada menos que o Google.


Quer saber como vai funcionar o Bard, novo chatbot do Google que chegou para dominar o mercado da Inteligência Artificial e como ele pode influenciar no mundo do marketing? Então continue lendo e tire todas as suas dúvidas!


Como funcionam os chatbots


Embora esse artigo seja focado em um tipo específico de chatbot, é importante você saber que existem vários deles.


Basicamente, um chatbot é um software baseado em Inteligência Artificial que consegue manter uma conversa em tempo real por texto ou por voz. O exemplo mais conhecido de chatbot são os assistentes virtuais como a Alexia, da Amazon, e a Siri, da Apple.


Outro exemplo válido são as mensagens automáticas de aplicativos como o WhatsApp, os agentes virtuais de plataformas online e as ligações automáticas de operadoras de telefonia.


Entretanto, o chatbot oferecido pela OpenAI — e agora pelo Google — fornece um serviço diferente dos chatbots conhecidos anteriormente.



Um novo modelo de chatbot


Como toda Inteligência Artificial, o modelo de chatbot desenvolvido pela OpenAI usa informações coletadas na internet e transforma os questionamentos dos usuários em respostas.


Seu grande diferencial, porém, é que essas respostas podem ser muito mais criativas do que aquelas respostas padrões que os usuários costumam receber.


Ao perguntar sobre um determinado assunto, o ChatGPT consegue contextualizá-lo para o usuário, elaborando textos, letras de música, poesias, contos, códigos de programação, receitas e muito mais.


Entretanto, a melhor parte é que o algoritmo do ChatGPT pode ser incorporado em serviços como o Microsoft Word, o WhatsApp, chatbots de atendimento ao cliente e assim por diante, levando toda a experiência online dos usuários a um novo nível.



O que o Bard, do Google, promete


Após diversos rumores de uma nova tecnologia em desenvolvimento, o Google anunciou no dia 6 de fevereiro o Bard, que promete ser concorrente direto do ChatGPT.


Segundo o Google, o chatbot obtém informações atualizadas da internet, gerando respostas com altos níveis de qualidade, segurança e fundamentação em informações reais, permitindo que o usuário faça requisições como:


  • Pedir ajuda para planejar o chá de bebê de um amigo/amiga

  • Comparar dois filmes indicados ao Oscar

  • Obter recomendações de receitas baseado no que se tem na geladeira

  • Pedir explicação de novas descobertas científicas em uma linguagem acessível para crianças


O Google também afirmou que, em breve, os usuários verão recursos baseados em IA em seu mecanismo de busca, que "transformam informações complexas e várias perspectivas em formatos fáceis de digerir". O objetivo é responder a um novo comportamento de busca dos internautas e facilitar o entendimento de questões mais difíceis.



ChatGPT e Brad para o marketing digital


Talvez você esteja se perguntando: “o que isso tudo tem a ver com marketing?”


Acontece que, diferente do que essas novas ferramentas afirmam ser, elas não são motores de busca e sim sistemas de interação humanizada que geram respostas automáticas muito criativas, na linguagem que você quiser.


Visando pelo lado do profissional de marketing digital, é fácil notar que ferramentas desse modelo podem ajudar na hora de gerar boas ideias para qualquer tipo de conteúdo.


Seja para criar cronogramas de postagens para seus clientes, desenvolver redações sobre assuntos dos quais o profissional não possui conhecimento profundo ou para se informar, de forma facilitada, sobre as novidades do mundo do marketing e aprender novas técnicas de criação, essas ferramentas são bastante úteis e levam mais praticidade para o dia a dia do profissional.


Genial, mas não perfeito


De fato, essa nova tecnologia, que desde 2022 desperta os olhares dos apaixonados por inovação, é genial e surpreendente. Entretanto, é importante ter em mente que ela não é perfeita.


Como nem tudo são flores na internet, é muito importante saber qual a veracidade da informação que você está recebendo dessas ferramentas.


Como a Inteligência Artificial usa respostas encontradas online e muitas delas não possuem fontes confiáveis, o profissional que aderir ao ChatGPT ou, no futuro, ao Brad, precisa estar muito atento se há coerência naquilo que esses chatbots estão entregando.


Imagine, por exemplo, se você confia totalmente no ChatGPT para criar uma copy para um cliente do qual o nicho você não entende bem. Então, o cliente retorna dizendo que a informação usada na postagem está errada e, pior, se trata de uma mentira bastante ofensiva para os profissionais desse nicho. Não seria nada agradável, não é mesmo?


Por isso, é fundamental que o profissional saiba suas responsabilidades e não dependa de ferramentas online. Elas foram criadas para nos auxiliar em momentos de dificuldade, mas nunca substituirão o bom e velho cérebro humano.



Gostou desse artigo? Então fique à vontade para navegar pelo blog Rizon e encontre mais artigos sobre marketing, inovação e tecnologia.


Comentarios


Ficou com dúvidas?

Podemos te ajudar

bottom of page